segunda-feira, 8 de abril de 2013

Petrolândia: Presidente do STR faz discurso inflamado durante audiência pública no Projeto Icó Mandantes com duras críticas a Chesf, Codevasf e Hidrosonda


José Maurício(foto:Assis Ramalho)

Em discurso, durante a Audiência Pública no Projeto Icó-Mandantes, realizada na última quinta-feira (04), ocasião em que foram discutidas pendências do projeto de reassentamento, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Petrolândia, José Maurício, foi duro nas críticas aos dirigentes da Chesf, Codevasf e, principalmente, da Hidrosonda.

Segundo José Maurício, a Codevasf está recebendo milhões e milhões da Chesf para dar uma assistência que não existe. "O que a gente vê aqui é um projeto sucateado, e quando a gente procura a Chesf,  ela diz que pagou para a Codevasf. Quando a gente procura a Codevasf, ela diz que pagou para a Hidrosonda. Quando a gente procura a Hidrosonda, ela diz que não recebeu o dinheiro. E com isso eles ficam no jogo do gato e o rato."



José Maurício afirmou ainda que se a Codevasf não tirar a Hidrosonda dos serviços de manutenção do projeto, coisas piores poderão acontecer. "Eu peço que tire ela daqui, enquanto é tempo, para que a gente não seja preciso tomar medidas radicais. Porque se não tomarem providências, isso vai acontecer, eu estou avisando, eu estou pedindo que façam algo para que isso não aconteça."

Acompanhe abaixo os trechos principais do discurso do Presidente de Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Petrolândia.

Sobre a falta de compromisso e respeito com os produtores do projeto Icó Mandantes, José Maurício disse:

''Todos sabem que nós temos um projeto sucateado por falta de manutenção, e não por falta de recursos. O que falta é compromisso e  respeito com os produtores. É preciso que o governo do Estado saiba que nós temos um problema grave, aqui no projeto, com a Hidrosonda, (empresa) que era pra fazer a operação e manutenção do projeto, mas não está fazendo. A Hidrosonda  está aqui apenas ganhando dinheiro. Faz quatro meses que essa empresa demitiu várias pessoas, inclusive funcionários com mais de 20 anos, que estão aí há quatro meses sem receber as suas contas, e passando necessidades. E o maior absurdo é que a Hidrosonda, além de não fazer a manutenção no projeto como deveria fazer, não pagar a seus funcionários, ela ainda ganhou uma outra concorrência para continuar aqui por vários anos. Então eu acho que isso é uma coisa que deve ser analisada, porque não dá pra gente engolir."

Muito dinheiro para pouco trabalho: 
"A Codevasf está aqui recebendo milhões e milhões da Chesf para dar uma assistência que não existe. O que a gente vê aqui é um projeto sucateado, e quando a gente procura a Chesf, ela diz que pagou para a Codevasf. Quando a gente procura a Codevasf, ela diz que pagou para a Hidrosonda. Quando a gente procura a Hidrosonda, ela diz que  não recebeu o dinheiro. E com isso eles ficam no jogo do gato e o rato. Então o que se vê é raposa tomando conta de galinheiro, porque a Chesf, Codevasf e Hidrosonda não são santas.

Problemas do Bloco 02: 
''Eu gostaria de dizer a vocês, deputados, que nós temos também um problema sério no Bloco 02 com relação à área de sequeiro, e que a Chesf nem sequer toca no assunto. Então eu espero que vocês, deputados, levem isso ao presidente da Chesf para que sejam tomadas as devidas providências. Eu já tive problema com a polícia, já fui até o Ministério Público, tentando segurar a barra. Tem pessoas que tem intenção até mesmo de eliminar (matar) alguém, justamente por causa das invasões de terra. Então o momento é sério, o momento não é de brincadeira. A Chesf está aí, não pra resolver problema e sim para criar mais problemas. Ela está criando problema com a população de Petrolândia, com os assentados, os não reassentados. Esses desmandos e esses descasos é somente uma coisa e todos já perceberam isso. É somente pra ela (Chesf) ganhar tempo, e assim ganhar muito dinheiro em cima dos produtores. É muito recurso para pouco trabalho, e o pouco que fazem não presta.

Problemas da EB-1 (Estação de Bombeamento de Água do Projeto Barreiras) que ainda não foram resolvidos: 

''Eu gostaria também de falar da atenção da nossa EB-1. Há três meses atrás houve uma chuva em que inundou tudo, o que foi uma tragédia anunciada há mais de dez anos pelo ex-diretor deste Sindicato, que nunca foi ouvido por parde dos responsáveis. E agora, depois de três meses do ocorrido, continuam as bombas lá em cima das bases, no meio do sol, ninguém está ligando pra nada, e a qualquer momento, se chover novamente, vai acontecer tudo de novo. Lá tem agricultor que perdeu mais de 50 mil reais com o ocorrido há três meses atrás. Então, não dá mais pra gente suportar. Então eu gostaria de dizer aqui aos representantes da Codevasf que deem um jeito de retirar essa empresa (Hidrosonda) daqui, pra evitar um mal maior. Não dá pra gente suportar essa empresa fazendo e acontecendo, sem que ninguém tome uma providência. Eu peço que tire ela daqui enquanto é tempo para que a gente não seja preciso tomar medidas radicais. Porque se não tomarem providências, isso vai acontecer, eu estou avisando, eu estou pedindo que façam algo para que isso não aconteça. Porque não é justo essa empresa receber tanto dinheiro em nome dos trabalhadores, não ter trabalhadores e ainda abandonar os que tem, porque ela não está pagando a eles. Hoje nós estamos vendo essa seca  assolando o Nordeste, e nós temos uma riqueza dessa aqui (o Projeto irrigado) que leva o pão à mesa de tantos brasileiros, de tantos nordestinos, e a gente vê se destruir tudo isso por falta de responsabilidade desse empresa. Então vamos lutar juntos. O Sindicato Rural de Petrolândia está aqui para o que der e vier. Estamos prontos pra tudo, podem ter certeza disso. Vamos fazer o possível e se for preciso, também o impossível. Ninguém vai parar a gente, não vamos ter medo de Chesf nem da Codevasf. Vamos jogar duro nesses caras e botar para eles fazer o que tem que ser feito, porque não é possível a gente aguentar tudo isso calado. Então chegou o momento de nós partirmos pra cima, sem ter medo de ninguém. Vamos ter medo de quê? Nós estamos em um país democrático e todos têm o direito de falar. E a gente está aqui há mais de 20 anos, sendo enrolados pela Chesf e Codevasf.  É preciso que o presidente da Chesf tome atitude de gente grande", enfatizou José Maurício.
Da Redação do Blog de Assis Ramalho
Fotos: Assis Ramalho